Health Education: Child Development Stimulation by the Caregiver in the Hospital Environment


Health Education: Child Development Stimulation by the Caregiver in the Hospital Environment

SANTOS, A.C.C.S1; OLIVEIRA, M.P.C.A1; OLIVEIRA LEMOS, S.O1; FERREIRA, A.P.A1; RABELO, A.R.M1.

Federal University of Pernambuco.


Research Journal of Pharmacology and Pharmacy-2d Code

Satisfactory growth and development in the early years of life establish a critical base for child health. But, the illness may predispose the child to vulnerabilities, requiring hospitalization to re-establish health. This process promotes a dichotomy: on the one hand to benefit child health, structuring and stimulating environment; on the other side predisposes neuropsychomotor development aggravations of the child, when the focus of the intervention stops in “treat” disease and desfavorece attention extended to variables such as family relationship, autonomy, performance of occupational roles. Thus, the study intends to develop educational activities with caregivers of hospitalized children with regard to child stimulation during the hospital routine. It is about a descriptive study, with cross section, linked to a research project entitled “Educational Actions with Caregivers of Hospitalized Children”, held in Institute of Integrative Medicine Teacher Fernando Figueira (IMIP). Will be included all caregivers of pediatric ward who accept to participate in the project and respected to the clinical condition of the child. The actions will be developed on the bed of the patient, individual or group form. The resource suitable for the age group will be selected, the caregiver will making him and receive guidance on the use of the material, inside the perspective of health education. In this context, the study intends to develop an educational action with guiding methodological-theoretical justifications and the importance of stimulation of child development in the hospital environment. The educative actions in health are effective to promote critical reflection and empowerment of the subject in your reality. In this way, it is hoped assist in promotion and prevention the neuropsychomotor development of children during the hospital routine. The study seeks to present the role of the occupational therapist under the health education to caregivers of children hospitalized, collaborating with the stimulation of child development, under the optics of humanization, health promotion and prevention of diseases during hospitalization.

Keywords: Child development; Occupational Therapy; Hospitalization; Caregivers


Free Full-text PDF

REFERENCES

  1. Abreu, N.R.A. et al. Análise do processo de humanização em um hospital público. Rev. Gestão e planejamento, Salvador. vol. 12, n. 3, p. 615-630, set/dez. 2012.
  2. Alencar, N. M. M. et. al. O brincar no contexto da hospitalização infantil: relato de experiência. Educação Ciência e Saúde. v.1, n.1, Jul./Dez. 2014.
  3. Almeida, T.; Sampaio, F.M. Stress e suporte social em familiares de pessoas com paralisia cerebral. Rev. Psicologia, Saúde & Doenças, Universidade Fernando Pessoa, Porto, v. 8, n. 1, p. 145-151, 2007.
  4. Angeli, A. A.C.; Luvizaro, N.A.; Galheigo, S.M. O cotidiano, o lúdico e as redes relacionais: a artesania do cuidar em terapia ocupacional hospitalar. Interface – Comunic, Saúde, Educ. vol.16, n.40, p.261-71, jan./mar. 2012.
  5. Berger, S. Orientação do cliente. In: Crepeau, E.B.; Cohn, E. S.; Schell, B.A.B. Willard Spackman Terapia Ocupacional. 11 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.
  6. Bersch, A.A.S.; Yunes, M.A.M. O brincar e as crianças hospitalizadas: contribuições da abordagem ecológica. Ambiente & Educação, v. 13, n. 1, p. 119-32, 2008.
  7. Coelho, Z.A.C.; Rezende, M.B. Atraso no desenvolvimento. In: CAVALCANTI, A.; GALVÃO, C. Terapia ocupacional: fundamentação e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
  8. Cruz, D.M.C.; Emmel, M.L.G. O brinquedo e o brincar na estimulação da função manual de crianças pré-escolares com deficiência física. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, São Carlos, v. 15, n. 1, p. 7-17, 2007.
  9. De Carlo, M.M.R.P. et al. Terapia Ocupacional em contextos hospitalares. Prática Hospitalar, Ano VIII, n. 43, Jan-Fev/2006.
  10. De Carlo, M.M.R.P; Bartalotti, C.C.; PALM, R.C.M. A Terapia Ocupacional em reabilitação Física e Contextos Hospitalares: Fundamentos para a Prática. In: De Carlo, M.M.R P.; Luzo, M.C.M. (Org.). Terapia Ocupacional Reabilitação Física e Contextos Hospitalares. São Paulo: Roca, 2004.
  11. Dahdah, D.F et al. Grupo de familiares acompanhantes de pacientes hospitalizados: estratégia de intervenção da terapia Ocupacional em um hospital geral. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, São Carlos, v. 21, n.2, p. 399-404, 2013.
  12. Doca, F.N.P.; Junior, A.L.C. Preparação psicológica para admissão hospitalar de crianças: uma breve revisão. Paidéia – Universidade de Brasília. vol. 12, n. 37, p. 167-179, 2007.
  13. Esteves, C.H.; Antunes, C.; Caires, S. Humanização em contexto pediátrico: o papel dos palhaços na melhoria do ambiente vivido pela criança hospitalizada. Interface (Botucatu) [online], vol.18, n.51, pp. 697-708, 2014.
  14. Farão, E.M.D. et al. Clínica ampliada em um hospital universitário: abrindo caminhos para uma nova forma de cuidar. Rev Contexto e Saúde. vol. 10, n. 20, p. 813-816, jan/jun 2011.
  15. Gonçalves, E.M. Vivências que permeiam a hospitalização: uma revisão acerca da assistência em hospitalização infantil. Contemporânea – Psicanálise e Transdisciplinaridade, Porto Alegre, n.08, Jul / Dez 2009.
  16. Grigolatto, T. et. al. Intervenção terapêutica ocupacional em CTI pediátrico: um estudo de caso. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, São Carlos, v. 16, n.1, p. 37-46, Jan/Jun 2008.
  17. Hostert, P.C.C.P.; Enumo, S.R.F.; Loss, A.B.M. Brincar e problemas de comportamento de crianças com câncer de classes hospitalares. Psicol. teor. prat. [online], vol.16, n.1, pp. 127-140, 2014.
  18. Joaquim, R.H.V.T et. al. A proposta e a implantação de um projeto de extensão: resgate do cotidiano de jogos e brincadeiras em uma enfermaria pediátrica. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, São Carlos, v. 18, n.2, p. 191-198, Mai/Ago 2010.
  19. Kudo, A.M et. al. Construção do instrumento de avaliação de terapia ocupacional em contexto hospitalar pediátrico: sistematizando informações. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, v. 20, n. 2, p. 173-181, 2012.
  20. Lopes, E.M.; Anjos, S.J.S.B; Pinheiro, A.K.B. Tendência das ações de educação em saúde realizadas por enfermeiros no Brasil. Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, v.17, n. 2, p. 273-7, abr/jun, 2009.
  21. Marques, C.D.C et. al. O cuidador familiar da criança hospitalizada na visão da equipe de enfermagem. Cienc Cuid Saude, v. 13, n. 3, p. 541-548, Jul/Set 2014.
  22. Maximino, V.S. A constituição de grupos de atividade com pacientes graves. Rev. CETO, n. 1, p. 27-32, 1995.
  23. Mitre, R.M.A.; Gomes, R. A perspectiva dos profissionais de saúde sobre a promoção do brincar em hospitais. Ciênc. saúde coletiva [online], vol.12, n.5, pp. 1277-1284, 2007.
  24. Milbrath, V.M. et al. Família da criança com paralisia cerebral: percepção sobre as orientações da equipe de saúde. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, vol. 21, n. 4, p. 921-8, Out-Dez. 2012.
  25. Pacciulio, A.M; Carvalho, T.S.E; Pfeifer, L.I. Atuação terapêutica ocupacional visando à promoção do desenvolvimento de uma criança em internação prolongada: um estudo de caso. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, São Carlos, v. 19, n.1, p. 93-99, Jan/Abr 2011.
  26. Panceri, C. et al. Desenvolvimento motor de bebês internados no hospital de clínicas de Porto Alegre. Rev HCPA. Porto Alegre, vol 32, n.2, p. 161-168, 2012.
  27. Parcianello, A.T.; Felin, R.B. E agora doutor, onde vou brincar? Considerações sobre a hospitalização infantil. Barbarói. Santa Cruz do Sul, n. 28, jan./jun. 2008.
  28. Pires, M.J.F. Promoção do desenvolvimento infantil. 2011. 218f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Instituto de Ciências da Saúde, Universidade Católica Portuguesa, Lisboa. Julho, 2011
  29. Rossit, R.A.S. et al. Avaliação do desenvolvimento de crianças hospitalizadas e orientação de cuidadores para a estimulação. Extramuros-Revista de Extensão da Univasf, v. 1, n. 1, 2013.
  30. Santos, C.A.; Marques, E.M.; Pfeifer, L.I. A brinquedoteca sob a visão da terapia ocupacional: diferentes contextos. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar. v. 14, n. 2, p. 91 – 102, Out. 2006.
  31. Souza, B.L.; Mitre, R.M.A. O brincar na hospitalização de crianças com paralisia cerebral. Psic.: Teor. e Pesq. [online], vol.25, n.2, pp. 195-201, 2009.
  32. Souza, V.B.; Roecker, S.; Marcon, S.S. Ações educativas durante a assistência pré-natal: percepção de gestantes atendidas na rede básica de Maringá-PR. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 13, n. 2, p. 199-210, 2011.