Qualidade De Vida Em Idosos Hipertensos De Uma Comunidade Na Cidade De Olinda


Qualidade De Vida Em Idosos Hipertensos De Uma Comunidade Na Cidade De Olinda – PE


Ribeiro, G.O1; Silva, K.C.L2; Souza, F.S3³; Melo, T.A4; Fernandes, M.G5; Lima, A.K.P6

1,2,3,4Universidade Católica de Pernambuco; 5Fisioterapeuta Doutora em Ciências da saúde – UFRN, 6Docente/Pesquisadora do Departamento de Fisioterapia – UNICAP.


Scientific Research and Reviews

O envelhecimento populacional faz parte da paisagem mundial em virtude do progressivo aumento da esperança média de vida, ligada à diminuição dos índices de mortalidade e natalidade1. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os idosos são o grupo etário que mais cresce no Brasil e representam hoje cerca de 19 milhões de pessoas, o que totaliza mais de 10% da população brasileira.1,3,4.
A Organização das Nações Unidas (ONU) classifica os idosos em três categorias: os pré-idosos (entre 55 e 64 anos); os idosos jovens (entre 65 e 79 anos – ou entre 60 e 69 para quem vive na Ásia e na região do Pacífico); e os idosos de idade avançada (com mais de 75 ou 80 anos). 4,5. Outras apurações populacionais mostram que uma grande parte dos idosos, cerca de 80%, apresenta pelo menos uma doença crônica, e uma outra parte da parcela possui três ou mais agravos2.
A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) está entre os primeiros lugares nos problemas da Saúde Pública no mundo, responsável por cerca de 40% dos óbitos por acidente vascular encefálico e 25% por doença arterial coronariana. Existem vários fatores que podem predispor à HAS, sendo eles não modificáveis como: idade, hereditariedade, raça e sexo; ou modificáveis como: sobrepeso, uso de contraceptivos, tabagismo, alcoolismo e hábitos alimentares. Tendo o principal fator de risco para a mortalidade e o risco de desenvolvê-la aumenta de acordo com a idade, sendo a doença crônica mais comum em idosos. Ela não ocorre de forma isolada, em sua maioria apresenta outros fatores de risco, podendo levar a uma diminuição da sobrevida e piora na qualidade de vida1,5,6,7,8.
A definição de qualidade de vida está ligada à auto-estima e ao bem-estar individual e envolve uma cadeia de aspectos como a capacidade funcional, o nível socioeconômico, o estado emocional, a interação social, a atividade intelectual, o autocuidado, o suporte familiar, o próprio estado de saúde, os valores culturais, éticos e a religiosidade, o estilo de vida, a satisfação com o trabalho e/ou com atividades diárias e o habitat em que se vive9,10.


Palavras-chave: Qualidade De Vida Em Idosos Hipertensos De Uma Comunidade Na Cidade De Olinda – PE

Free Full-text PDF


How to cite this article:
Ribeiro, G.O; Silva, K.C.L; Souza, F.S; Melo, T.A; Fernandes, M.G5; Lima, A.K.P. Qualidade De Vida Em Idosos Hipertensos De Uma Comunidade Na Cidade De Olinda – Pe.Scientific Research and Reviews, 2018, 3:25. DOI: 10.28933/srr-2018-06-2825