Imunização Em Idosos Na Saúde Pública: Uma Breve Revisão De Literatura


Imunização Em Idosos Na Saúde Pública: Uma Breve Revisão De Literatura


Hazime, N.P1; Bezerra, M.C.C.S2; Ramos, R.C.F3

1,2Estudantes do Curso de Medicina – UNICAP, 3Docente do Curso de Medicina – UNICAP


Scientific Research and Reviews

A vontade de erradicar doenças a partir da década de 1970 surgiu após a erradicação da varíola e a criação do Programa Ampliado de Imunização da Organização Mundial de Saúde (OMS). Tal fato fez com que a política e polícia da vacinação se tornassem mais complexas e mais eficazes, embora não atingissem os preceitos bioéticos1. A criação de metas, bem como a busca de resolvê-las, fez das imunizações uma ação globalizada e que faz do Brasil, referência no que diz respeito ao Programa Nacional de Imunização (PNI), tanto pela acessibilidade quanto pela gama de variedades. Dessa forma, o PNI é utilizado em alguns países e auxilia, por conseguinte, na erradicação de doenças em países subdesenvolvidos2.
Vê-se, então, que a vacinação é de extrema importância para saúde, principalmente no que tange à saúde pública brasileira. Sua administração baseia-se na exposição, seja por injeção, ingestão ou inalação de um produto não-tóxico que induz o indivíduo a produzir anticorpos. A proteção ocorre caso esse indivíduo entre em contato com o mesmo patógeno contra o qual foi vacinado, pois a exposição resultará em uma resposta imunológica secundária que o protegerá de forma mais rápida e eficiente contra o desenvolvimento da doença3.
Juntamente aos diversos tipos de vacinas, surgem as estratégias de vacinação, próprias para cada idade. Essas estratégias são promovidas pelo Ministério da Saúde (MS) e remetem no Brasil a grandes resultados, como as campanhas contra a varíola e a poliomielite, além da proximidade de erradicação do sarampo no território brasileiro. Outro ponto para destaque, é que o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece de forma gratuita todos as vacinas que são recomendadas pela OMS como necessárias para a promoção e proteção da saúde pública3.
Uma das principais causas usadas como justificativa para a não vacinação é temor acerca dos efeitos colaterais que possam ocorrer, embora a maioria das vacinas seja pouco reatogênica. Em relação a sintomas que possam surgir, o mais comum é dor no local de aplicação da vacina4.


Palavras-chave: Doenças cardiometabólicas; Envelhecimento; Eventos comunitários.

Free Full-text PDF


How to cite this article:
Hazime, N.P; Bezerra, M.C.C.S; Ramos, R.C.F. Imunização Em Idosos Na Saúde Pública: Uma Breve Revisão De Literatura.Scientific Research and Reviews, 2018, 4:41. DOI: 10.28933/srr-2018-06-2841