Interações Farmacológicas Em Pacientes Crônicos Da Unidade De Terapia Intensiva Do Hospital Universitário Alcides Carneiro


Interações Farmacológicas Em Pacientes Crônicos Da Unidade De Terapia Intensiva Do Hospital Universitário Alcides Carneiro


Brito T.A.M1; Gomes A.M.P.2; Oliveira F.S.3

1Estudante do Curso de Bacharelado em Farmácia – UFCG;gmail.com, 2Estudante do Curso de Bacharelado em Farmácia – UFCG, 3Docente do Centro de Educação e Saúde da UFCG.


Scientific Research and Reviews

Na prática clínica é comum o uso de vários medicamentos simultaneamente, aumentando assim o risco de interações medicamentosas (IM). A politerapia é uma estratégia útil para obter o efeito terapêutico sinergístico ou para a terapia de múltiplas doenças coexistentes. No entanto, pode resultar em IMs indesejadas, causando diversos problemas a saúde do paciente1.
Há fatores de risco que favorecem a ocorrência das IMs os quais estão relacionados ao medicamento, ao paciente e à prescrição de medicamentos. Com relação aos fatores relacionados ao medicamento, os principais são a potência em induzir ou inibir o sistema enzimático e a margem terapêutica do fármaco, a qual representa a relação existente entre a dose máxima tolerada e a dose terapêutica. Dentre os principais fatores de risco relacionados ao paciente estão alguns grupos mais vulneráveis, são eles: idosos, pacientes imunodeprimidos, submetidos a cirurgias e internos em terapia intensiva. Quanto aos fatores relacionados à prescrição de medicamentos, destacam-se os múltiplos medicamentos presentes na prescrição associado ao complicado estado clínico dos pacientes em âmbito hospitalar. O agravamento das interações pode ocorrer pela falta de conhecimento dos profissionais sobre a ação dos fármacos2.
A incidência de IMs em âmbito hospitalar varia de 3 a 5% em pacientes que fazem uso de até quatro medicamentos, esse número aumenta para 20% ou mais, em doentes que fazem uso de 10 a 20 fármacos, esclarecendo assim a importância e significância do problema3,4,5. Uma IM pode resultar em fracasso terapêutico ou ao surgimento de efeitos adversos. Ambos colocam em risco à saúde do paciente, causando aumento do tempo de internação e da complexidade do tratamento, gerando aumento dos custos para o hospital6.A unidade de terapia intensiva (UTI) é o setor do hospital caracterizado pela complexidade do atendimento ao paciente em estado crítico, que necessita de cuidados intensivos. Neste ambiente, há equipamentos, materiais e pessoal treinado para oferecer adequada assistência a esses pacientes7,8.


Palavras-chave: Interações Farmacológicas Em Pacientes Crônicos Da Unidade De Terapia Intensiva Do Hospital Universitário Alcides Carneiro

Free Full-text PDF


How to cite this article:
Brito T.A.M; Gomes A.M.P.; Oliveira F.S.Interações Farmacológicas Em Pacientes Crônicos Da Unidade De Terapia Intensiva Do Hospital Universitário Alcides Carneiro.Scientific Research and Reviews, 2018, 5:51. DOI: 10.28933/srr-2018-06-2851