Avaliação Bacteriológica Em Amostras De “Açaí Na Tigela” Comercializadas No Município De Caruaru


Avaliação Bacteriológica Em Amostras De “Açaí Na Tigela” Comercializadas No Município De Caruaru – PE


Leal V.M.A1, Silva J.P.S2, Júnior A.T.J3
1Graduanda do Curso de Farmácia do Centro Universitário Tabosa de Almeida (ASCES-UNITA); 2Graduando do Curso de Farmácia do Centro Universitário Tabosa de Almeida (ASCES-UNITA); 3Docente/Pesquisador do Grupo de Pesquisa em Biotecnologia do Centro Universitário Tabosa de Almeida (ASCES-UNITA).


Scientific Research and Reviews

Introdução: o “açaí na tigela” é um prato de atual destaque no Brasil, devido ao seu valor nutritivo e elevado teor energético. No entanto, pode ser contaminado durante a sua preparação a partir das condições higiênico-sanitárias dos ambientes, favorecendo a presença de microrganismos, sendo este um dos fatores responsáveis não só pela deterioração do alimento, mas também pela possível transmissão de doenças. Objetivo: analisar a qualidade bacteriológica do “açaí na tigela” comercializado no município de Caruaru – PE. Metodologia: realizou-se uma pesquisa experimental (laboratorial) no período de fevereiro a julho de 2017, onde foram coletadas, assepticamente, 10 amostras de açaí na tigela contendo frutas, provenientes de diversos estabelecimentos localizados em Caruaru – PE. Em seguida transportadas ao laboratório de Microbiologia de Alimentos da ASCES-UNITA e submetidas às análises quanto à presença de coliformes totais/fecais pela técnica dos tubos múltiplos para determinação do Número Mais Provável (NMP) de coliformes por grama de produto e pesquisa de Salmonella spp., através da técnica de pré-enriquecimento em água peptonada tamponada, enriquecimento seletivo em caldo tetrationato e isolamento em meio Salmonella Shigella (SS). Resultados e discussões: os resultados encontrados evidenciam que 100% das amostras apresentaram coliformes totais (1,6 x 103 ± 1,7 x 102 NPM/g), enquanto 40% continham coliformes fecais. Uma amostra mostrou-se positiva para presença de Salmonella spp., enquanto nove positivaram para a espécie Shiguella spp. Ambos os gêneros citados são patogênicos, capazes de causar graves problemas a saúde, enquanto o grupo coliforme são indicadores das condições higiênico-sanitárias inadequadas. Conclusão: o “açaí na tigela” apresentou qualidade bacteriológica insatisfatória do ponto de vista sanitário. Dessa forma, deve-se levar em consideração que apesar dos benefícios do açaí, o mesmo é um alimento manipulado e assim é fundamental a adoção das boas práticas de manipulação para diminuir o risco de contaminação e garantir a segurança alimentar ao consumidor.


Palavras-chave: Açaí; contaminação; Coliformes; Salmonella; Segurança Alimentar

Free Full-text PDF


How to cite this article:
Leal V.M.A, Silva J.P.S, Júnior A.T.J.Avaliação Bacteriológica Em Amostras De “Açaí Na Tigela” Comercializadas No Município De Caruaru – PE.Scientific Research and Reviews, 2018, 6:57. DOI: 10.28933/srr-2018-06-2857