Late Diagnosis of Cancer in the Head and Neck Region: Case Report


LATE DIAGNOSIS OF CANCER IN THE HEAD AND NECK REGION: CASE REPORT


Thuanny Macêdo1*, Maria Cecília Freire de Melo¹, Isabela Vicência Menezes Castelo Branco², Aurora Karla de Lacerda Vidal3

1Residency in Hospital Dentistry with a focus on Oncology from the University of Pernambuco – ICB / HUOC / UPE. Master student of the Post-Graduation Program in Dentistry, Federal University of Pernambuco – UFPE; ²Residency in Hospital Dentistry with a focus on Oncology from the University of Pernambuco – ICB / HUOC / UPE; ³ Profa. Dra. Adjunct of the General Pathological Processes Discipline of the Institute of Biological Sciences of the University of Pernambuco – ICB / UPE. Head of the Dentistry Department of the Oncology Center of the Oswaldo Cruz University Hospital of the University of Pernambuco – CEON / HUOC / UPE, Coordinator of the Residency Program in Hospital Dentistry with focus on Oncology at the University of Pernambuco – ICB / HUOC / UPE.


American Journal of Geographical Research and Reviews

Introduction: Head and neck cancer, especially lesions in oral cavity and oropharynx, is a public health problem in the world, and is usually associated with low rates of cure and survival due to the small number of cases diagnosed in the early stages.

Objectives: This article proposes to report a case of a patient diagnosed with cancer late, exemplifying the Brazilian reality, in the State of Pernambuco.

Results: The delay in the diagnostic process is influenced by the lack of initial pain symptomatology, the reduced knowledge about the disease among patients and professionals, the fear of diagnosis and the difficulties of access to the specialized service.

Conclusion: Late diagnosis is still a reality, leading to a worse prognosis and a reduction in the survival rate.


Keywords: Cancer, Dentistry, Prevention, Public Health.

Free Full-text PDF


How to cite this article:
Thuanny Macêdo, Maria Cecília Freire de Melo, Isabela Vicência Menezes Castelo Branco, Aurora Karla de Lacerda Vidal. LATE DIAGNOSIS OF CANCER IN THE HEAD AND NECK REGION: CASE REPORT . International Journal of Dental Research and Reviews, 2020, 3:37. DOI: 10.28933/ijdrr-2020-05-1205


References:

1. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Estimativa 2014: Incidência de Câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2014.
2. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde Bucal (Cadernos de Atenção Básica, n. 17). Brasília: Ministério da Saúde; 2006.
3. Costa AM, Tôrres LHN, Fonseca DAV, Wada RS, Sousa MLR. Campanha de prevenção e diagnóstico precoce do câncer bucal: perfil dos idosos participantes. Rev. bras. odontol. 2013; 70(2): 130-135.
4. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n°2439/GM, de 8/12/2005. Política Nacional de Atenção Oncológica. Brasília, 2005. 3p.
5. Brasil. Tribunal de Contas da União. Política Nacional de Atenção Oncológica/Tribunal de Contas da União; Relator Ministro José Jorge. Brasília: TCU, Secretaria de Fiscalização e Avaliação de Programas de Governo, 2011.
6. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 874, de 16/05/2013. Política Nacional para a Prevenção e Controle do Câncer na Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília, 2013.
7. Vidal, AKL. Programa de Combate ao Câncer de Boca. Odontol. Clin-Cient. 2006; 5(1):63-8.
8. Martins Filho PRS, Santos TS, Silva LCF, Piva MR. Oral cancer in Brazil: a secular history of Public Health Policies. RGO 2014; 62(2): 159-164.
9. Tibaldi ACB, Tomo S, Boer NP, Simonato LE. Avaliação do conhecimento da população do município de Fernandópolis-SP em relação ao câncer bucal. Arch. Health Invest. 2015; 4(1): 6-12.
10. Domingos PAS, Passalacqua MLC, Oliveira ALBM. Câncer Bucal: um problema de saúde pública. Rev. Odontol. Univ. Cid. São Paulo 2014; 26(1): 46- 52.
11. Moro, JS et al. Câncer de boca e orofaringe: epidemiologia e análise da sobrevida. Einstein, São Paulo, v. 2, n. 16, p.1-5, 2018.
12. Vidal, AKL; Silveira, RCJ; SOARES, EA; Cabral, AC; Caldas Júnior, AF; Souza, EHA; Lopez, RM. Prevenção e diagnóstico precoce do câncer de boca – uma medida simples e eficaz. Odontologia Clín-Cient. 2003b; 2 (2):109-14
13. Vidal, AKL; Silveira, RCJ; SOARES, EA; Caldas Júnior, AF; Cabral, AC; Souza, EHA; Lopez, RM. Prevenção e diagnóstico precoce do câncer de boca – uma realidade no Distrito Sanitário IV – Recife/ PE, Brasil. Pesquisa Odontológica Brasileira. 2003a; 17 (2):31
14. Vidal AKL, Tenório APS, Brito BHG, Oliveira TBT, Pessoa ID. Conhecimento de Escolares do Sertão Pernambucano sobre o Câncer de Boca. Pesq. Bras. Odontoped. Clin. Integr. 2009; 9(3): 283-288.
15. Vidal, AKL; Aguiar, DMA; Gouveia, MVC; Cavalcante Neto, PM; Tavares, ANS; Guimaraens, MA. Verificação do conhecimento da população pernambucana acerca do câncer de boca e dos fatores de risco -Brasil. Pesq. Bras. Odontoped. Clin. Integr. 2012; 12(3): 383-87
16. Prado BBFP. Influência dos hábitos de vida no desenvolvimento do câncer. Cienc. Cult. 2014; 66(1): 21-24.
17. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Estimativa 2016: Incidência de Câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2016.
18. Maia AMO, Cruz CMSB, Leão JC, Cavalcanti UDNT. Diagnóstico precoce de lesões orais potencialmente malignas em dois municípios do Estado de Pernambuco. Odontol. Clín.-Cient. 2013; 12 (1): 47-51.
19. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Instituto Nacional do Câncer. Serviço de Odontologia em Oncologia. Rotinas Internas do INCA. 2ªedição rev. amp. Rio de Janeiro: INCA, 2009. 44p.
20. Vidal, AKL. Protocolo Operacional Padrão de Cuidados Buco-Dentais (POP- Oral) para indivíduos sob terapia antineoplásica. Adaptado das Rotinas Internas do INCA (serviço de Odontologia), 2009. Nota Prévia (Original), 2012.
21. Vidal, AKL e Ximenes, LM. Câncer de Boca. In: Queiroz Marques, CLT; Barreto, CL; Morais VLL, Lima Júnior, NF. Oncologia uma abordagem multidisciplinar. Recife. Ed Carpe Diem, 2015; 291-309.
22. Andreotti, M et al. Ocupação e câncer da cavidade oral e orofaringe. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 3, n. 22, p.543-552, 2006.
23. Bonfante GMS, Machado CJ, Souza PEA, Andrade EIG, Acurcio FA, Cherchiglia ML. Sobrevida de cinco anos e fatores associados ao câncer de boca para pacientes em tratamento oncológico ambulatorial pelo Sistema Único de Saúde, Brasil. Cad. Saúde Pública 2014; 30(5):983-997.
24. Lacerda Vidal, AK; Andrade, ESS; Macêdo, TS; Melo,MCF; Matos, FCM; Melo Júnior, BC; Silva Neto, SV. Mouth Cancer Control Program in the State of Pernambuco , Brazil. Oral Cancer. https://doi.org/10.1007/s41548-018-0014-z
25. Santos IV, Alves TDB, Falcão MML, Freitas VS. O papel do cirurgião-dentista em relação ao câncer de boca. Odontol. Clín.-Cient. 2011;10 (3): 207-210.
26. Mauricio HÁ, Matos FCM, Guimarães TMR. Conhecimentos, atitudes e práticas sobre câncer de boca da comunidade atendida pelo PSF de São Sebastião do Umbuzeiro/PB. Rev. Bras. Cir. Cabeça Pescoço 2009; 38(1): 10 – 14.
27. Atty A, Pontes JRM, Torres-Pereira C Lemos Junior, CA; Vidal, AKL, Kulcsar MA. Novas diretrizes para a detecção precoce do câncer de boca. Rede Câncer. 2012; 19: 28 – 30.
28. Andrade SN, Muniz LV, Soares JMA, Chaves ALF, Ribeiro RIMA. Câncer de boca: avaliação do conhecimento e conduta dos dentistas na atenção primária à saúde. Rev. bras. odontol. 2014; 71(1): 42-47.
29. Volkweis MR, Blois MC, Zanin R, Zamboni R. Perfil Epidemiológico dos Pacientes com Câncer Bucal em um CEO. Rev. Cir. Traumatol. Buco-Maxilo-Fac. 2014; 14(2): 63-70.
30. Vidal, AKL e Ximenes, LM. Câncer de Boca. In: Queiroz Marques, CLT; Barreto, CL; Morais VLL, Lima Júnior, NF. Oncologia uma abordagem multidisciplinar. Recife. Ed Carpe Diem, 2015; 291-309.