Scientific Research and Reviews


Sarcopenia E Estado Nutricional Em Idosos De Instituições De Longa Permanência Para Idosos

Research Article of Scientific Research and Reviews Sarcopenia E Estado Nutricional Em Idosos De Instituições De Longa Permanência Para Idosos -RECIFE/PE Machado, J. G. 1; Gomes, E. G. P. 2; Amorim, T. M. A. X. 3; Oliveira, A. A. 4; Tavares, F. C. L. P.5; Andrade,L. A. S. S.6 1,2,3 Estudante do Curso de Nutrição- CCS – UFPE; 4 Residente multiprofissional de Saúde da Família - IMIP, 5,6 Docente/pesquisador do Departamento de Nutrição – CCS – UFPE Introdução: A sarcopenia é uma síndrome geriátrica caracterizada pela perda de força e massa muscular esquelética, diminuindo a capacidade física. Sedentarismo, hospitalização, doenças preexistentes e má nutrição estão associados ao desenvolvimento/agravo da sarcopenia. A mudança da composição corporal pode ser refletida nas medidas antropométricas dos idosos. Objetivo: Avaliar medidas antropométricas e frequência alimentar de idosos sarcopênicos e não sarcopênicos residentes de instituições de longa permanência para idosos (ILPIs). Metodologia: Estudo transversal, com 37 idosos de ambos os sexos, residentes de ILPIs localizadas na Região Metropolitana do Recife. O estado nutricional foi avaliado pelo índice de massa corporal (IMC), classificado segundo Lipschitz (1994), e para depleção muscular utilizou-se a circunferência da panturrilha (CP). Aplicou-se um questionário de frequência alimentar para verificar o consumo de alimentos fonte de proteína e vitamina D. (CAAE 54699116.2.0000.5208.) Resultados: A sarcopenia esteve presente em 37,8% dos idosos avaliados, sendo mais frequente naqueles entre 70 a 79 anos (50%), IMC <22 (50%) e no sexo feminino (71,4%). Todos os indivíduos com IMC<22 apresentaram sarcopenia, enquanto que 86,7% dos classificados com excesso de peso não eram sarcopênicos. 71,4% eram sarcopênicos quando a CP<31cm, e 70% daqueles com CP≥31cm não apresentaram sarcopenia. As fontes proteicas mais consumidas foram galinha sem pele cozida/assada (91,9%), leite integral (81,1%) e fígado bovino (64,9%). Discussão: Os idosos com IMC elevado e CP≥31cm apresentaram menor risco de desenvolver ...

Estado Nutricional Do Binômio Mãe-Filho Participantes Do Programa Mãe Coruja Recife

Research Article of Scientific Research and Reviews Estado Nutricional Do Binômio Mãe-Filho Participantes Do Programa Mãe Coruja Recife Machado, J. G. 1; Amorim, T. M. A. X 2; Gomes, E. G. P 3; Tavares, G. A. 4; Andrade, L. A. S. S.- 5, Borba, J. M. C. 6 1,2,3 Graduada do Curso de Nutrição – CCS – UFPE; 4 Estudante do Curso de Pós-Graduação em Nutrição – CCS – UFPE, 5,6 Docente/pesquisador do Departamento de Nutrição – CCS – UFPE. Introdução: O excesso de peso é uma doença multifatorial associada ao estilo de vida e atualmente é problema de saúde pública entre adultos e crianças brasileiras. O Programa Mãe Coruja Recife acompanha a saúde do binômio mãe-filho desde a gestação até a criança completar 5 anos. Não há estudos que constem o aspecto nutricional do Programa. Objetivo: Avaliar o estado nutricional do binômio mãe-filho participantes do Programa Mãe Coruja Recife. Metodologia: Estudo transversal, quantitativo, desenvolvido em três espaços do Programa entre novembro/2016 e abril/2017, com mães e crianças menores de dois anos cadastradas (n=57). A avaliação do estado nutricional do binômio foi realizada por meio do cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC) e IMC/idade, seguindo instruções e pontos de corte da Organização Mundial de Saúde (OMS) (1998) para mães adultas e OMS (2006) para as mães adolescentes e as crianças. Os valores foram expressos em média de escore z. Para as análises de frequência, utilizou-se o teste do qui-quadrado. (CAAE: 54697116.3.0000.5208) Resultados: A avaliação nutricional pelo IMC materno mostrou que havia 30% de sobrepeso, 30% de obesidade e 3,5% de magreza entre as mães. Entre as crianças, 25% estavam com alto IMC/idade, sendo 6,7% obesas. O percentual de baixo IMC/idade foi 3,3%. Discussão: O excesso de peso encontrado nas mães e nas crianças participantes do Programa é bastante elevado e ...

Uso Do Tipi No Tratamento De Doenças Crônicasem Uma Comunidade Local Do Interior Do Ceará

Research Article of Scientific Research and Reviews Uso Do Tipi No Tratamento De Doenças Crônicasem Uma Comunidade Local Do Interior Do Ceará Soares, C. L.R. 1,2; Neto, P.P.M 2; Silva, M. R. P. 3; Lucena, C. C.O. 4; Pereira, P.S. 5; Silva, T.G. 6 1Estudante Graduação em Ciências Biológicas da Universidade Federal da Paraíba- UFPB; 2Estudante de Pós Graduação em Ciências Biológicas da Universidade Federal de Pernambuco- UFPE.3Estudante de Graduação do Curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Pernambuco- UFPE; 4Estudante de Pós Graduação em Ciências Farmacêuticas da Universidade Federal de Pernambuco- UFPE; 5Estudante de Pós Graduação em Biotecnologia da Universidade Federal de Pernambuco- UFPE; 6Docente/ Pesquisadora do Departamento de Antibióticos da Universidade Federal de Pernambuco- UFPE. Introdução: As doenças crônicas não transmissíveis constituem a maior causa de morte nos países desenvolvidos. As utilizações de plantas em estudos etnofarmacológicos têm sido realizadas com o intuito de encontrar compostos biologicamente ativos para o desenvolvimento de novos agentes farmacológicos que minimizem os efeitos tóxicos causados por parte dos medicamentos disponíveis. A Petiveria alliacea L., uma espécie família de Phitolacaceae, é comumente utilizada pela medicina popular na terapia de várias desordens, dentre elas, as crônicas. Objetivo: Este trabalho objetivou a realização de um estudo etnobotânico sobre P. alliacea na Comunidade Milagres-CE, relacionando os métodos de preparação e as indicações no tratamento de desordens crônicas por comunidades tradicionais. Metodologia: O período de pesquisa foi de fevereiro a abril de 2016, onde foi aplicado um questionário em uma amostra de 30 residentes aleatórios da região. Resultados: As partes mais utilizadas pelos entrevistados são as folhas, vegetal inteiro, a raiz associada à folha e apenas a raiz. Quanto às indicações terapêuticas, 50%relataram utilizar a planta no tratamento de reumatismo, 30% no tratamento de artrite e 20% no tratamento de doenças não-crônicas. Conclusão: Os resultados deste estudo ...

Uso De Plantas Medicinais Como Alternativas Para O Tratamento De Patologias No Município De Milagres- Ce

Review Article of Scientific Research and Reviews Uso De Plantas Medicinais Como Alternativas Para O Tratamento De Patologias No Município De Milagres- Ce Soares, C.L.R 1,2; Silva, M.R.P3; Neto, P. P. M2; Lucena, C. C. O4; Pereira, P. S.5; Silva, T. G. 6 1Estudante Graduação em Ciências Biológicas da Universidade Federal da Paraíba- UFPB; 2Estudante de Pós Graduação em Ciências Biológicas da Universidade Federal de Pernambuco- UFPE 3Estudante de Graduação do Curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Pernambuco- UFPE; 4Estudante de Pós Graduação em Ciências Farmacêuticas da Universidade Federal de Pernambuco- UFPE; 5Estudante de Pós Graduação em Biotecnologia da Universidade Federal de Pernambuco- UFPE; 6Docente/ Pesquisadora do Departamento de Antibióticos da Universidade Federal de Pernambuco- UFPE. Introdução: A falta de assistência médica, farmacêutica e a crise econômica, as populações têm buscado o uso de plantas medicinais, desenvolvendo um conhecimento empírico acerca do uso da natureza. A medicina popular Brasileira reflete o conhecimento transmitido entre as gerações que difundiram os seus conhecimentos sobre a flora medicinal, tornando as plantas medicinais instrumentos na assistência farmacêutica. O Ceará é rico em espécies medicinais endêmicas da região, utilizadas tradicionalmente pela população, mas pouco exploradas pela farmacologia. Objetivo: Avaliar as plantas utilizadas na medicina popular e as diversas formas de aplicação pelas comunidades do município de Milagres no Ceará. Metodologia: A pesquisa se realizou no município de Milagres- CE, entre novembro e dezembro de 2015, através de questionário aplicado em diversos pontos da cidade e zona rural para consumidores e raizeiros. Resultados: As plantas mais utilizadas nessa comunidade são: Capim santo, erva-doce, erva-cidreira, hortelã-verde e eucalipto. Relatos dos entrevistados demonstraram que o tratamento com plantas medicinais resultaram no melhoramento de até 100% da patologia apresentada antes do tratamento. Conclusão: A população faz uso das espécies listadas tratamento de patologias de maneira indiscriminada. É necessário ...

Manuscript Title: The title should be a brief phrase.

Author Information: List full names and affiliation of all authors, including Emails and phone numbers of corresponding author.

Abstract: The abstract should be less than 500 words. Following abstract, a list of keywords and abbreviations should be added. The keywords should be no more than 10. Abbreviation are only used for non standard and long terms.

Introduction: The introduction should included a clear statement of current problems.

Materials and Methods: This section should be clearly described.

Results and discussion: Authors may put results and discussion into a single section or show them separately.

Acknowledgement: This section includes a brief acknowledgment of people, grant details, funds

References: References should be listed in a numbered citation order at the end of the manuscript. DOIs and links to referenced articles should be added if available. Abstracts and talks for conferences or papers not yet accepted should not be cited.

Tables and figures: Tables should be used at a minimum with a short descriptive title. The preferred file formats for Figures/Graphics are GIF, TIFF, JPEG or PowerPoint.

Publication fees: We do not charge any submission charges, but authors are required to pay publication fees after their manuscripts are accepted for publication. For authors who receive our invitations, please send us the invitation code.

Proofreading and Publication: A proof will be sent to the corresponding author. Authors should carefully read it to avoid any errors and return any comments. We will update and publish it shortly. One of our goals is to minimize our publication time. For authors who do not return comments of proofreading on time, we may put the proof onlinefirst and replace it later with the final version. 

Withdrawal/retraction Policy: When you want to withdraw/retract a published article, please send us your written request by email. We will withdraw/retract it from our system after reviewing the request. Please allow us enough time to process it. 

Terms of Use/Privacy Policy/Disclaimer/Other Policies: eSciPub LLC is a publisher to support Open Access initiative located in Houston, Texas, USA. We are a member of the largest community of professional publishers in the United States: the Independent Book Publishers Association. All journals are solely owned by eSciPub LLC and have no affiliation/relationship with any other(s). You agree that by using or receiving our services, you have read, understood, and agreed to be bound by all of our terms of use/privacy policy/ disclaimer/ other policies(Click here for details).

About the journal
The journal is solely owned and hosted by eSciPub LLC and has no affiliation/relationship with any other(s). Our aim is to provide a platform that encourages publications of the most recent research/reviews for authors of all countries.


About the publisher
eSciPub LLC is a publisher to support Open Access initiative located in Houston, Texas, USA. It is a member of the largest community of professional publishers in the United States: the Independent Book Publishers Association. It hosts more than 100 Open Access journals in Medicine, Business, Economics, Agriculture, Biological Sciences, Chemistry, Education, Physical Sciences, Sociology, Engineering.


Rapid Response Team
Please feel free to contact our rapid response team if you have any questions. Our customer representative will answer your questions shortly.

Scientific Research and Reviews

Loading