ABSENTEEISM DUE TO MENTAL DISORDERS IN A MUNICIPALITY IN THE INTERIOR OF ALAGOAS


ABSENTEEISM DUE TO MENTAL DISORDERS IN A MUNICIPALITY IN THE INTERIOR OF ALAGOAS


Verônica de Medeiros Alves² *. Francisco, Leilane Camila Ferreira de Lima.

¹Especialista em Psiquiatria e Saúde Mental (Residência UNCISAL), Mestranda em Enfermagem (UFAL). ²Docente do curso de Enfermagem da Universidade Federal de Alagoas, Mestre em Ciências da Saúde, Doutora em Saúde Mental pelo Instituto de Psiquiatria da UFRJ.


Global Journal of Urology and Nephrology

Introduction: Work-related diseases cause high absenteeism rates and their occurrence has been increasing gradually and because they cause great impact on the economy of the countries.

Objective: To identify the prevalence of absenteeism due to mental disorders in servers in the municipality of Arapiraca-AL, from January to December 2013.

Methodology: This is a descriptive, cross-sectional study with a quantitative approach. For this, we analyzed all the records used in the situation of work clearance of the municipal servants of Arapiraca in the Medical Board.

Results: The study subjects were 816 public servants from the municipality of Arapiraca-AL, away from work from January to December 2013. For data analysis, the Statistical Package for the Social Sciences-SPSS (version 20) was used. The present study showed that most professionals away from work were female (693 – 84.9%), married (426 – 52.2%), lived in rural areas (116 – 14.2%) and were permanent employees (627 – 76.8%). Education configured the stocking organ most affected by absenteeism at work (474 – 58.1%) represented by the post of teacher (281 – 34.4%). The absence of mental disorders occupied the fourth most frequent cause (151 – 18.5%) among the various reasons for distancing from work and the depressive episode was the mental disorder that stood out in relation to the others (19 – 12.6%).

Conclusion: The high rate of absenteeism due to mental disorders evidences the need for a new look at the mental health of workers in order to develop strategies for immediate intervention.


Keywords: Mental Health, Worker’s Health, Absenteeism.

Free Full-text PDF


How to cite this article:
Verônica de Medeiros Alves. Francisco, Leilane Camila Ferreira de Lima.ABSENTEEISM DUE TO MENTAL DISORDERS IN A MUNICIPALITY IN THE INTERIOR OF ALAGOAS.American Journal of Psychiatric Research and Reviews, 2020, 3:17. DOI: 10.28933/ajppr-2020-02-2505


References

1. FRANCO, T.; DUCK, G.; SELIGMANN-SILVA, E. As novas relações de trabalho, o desgaste mental do trabalhador e os transtornos mentais no trabalho precarizado. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 35, n. 122, p. 229-248, 2010.
2. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Saúde do Trabalhador. Brasília, DF, 2001. 66p.
3. SANCINETTI, T. R. et al. Absenteísmo – doença na equipe de enfermagem: relação com a taxa de ocupação. Revista Esc Enferm USP, São Paulo, v. 43, n. 2, p. 1277-1283, 2009.
4. Brasil. Ministério da Previdência Social. Secretaria de Políticas de Previdência Social. Anuário estatístico da previdência social. Brasília, DF, 2012. 886p.
5. CRUZ, C. R. B. et al. Transtornos mentais como causa de absenteísmo entre servidores públicos em São Paulo. Revista Psiquiatria Clínica, São Paulo, v. 38, n. 6, p. 265-266, 2011.
6. MIRANDA, G.; ALVARADO, E.; KAUFMAN, J. S. Duración de las licencias médicas FONASA por transtornos mentales y del comportamento. Revista Medica de Chile, Chile, v. 40, p. 207-213, 2012.
7. FONSECA, R. M. C.; CARLOTTO, M. S. Saúde mental e afastamento do trabalho em servidores do judiciário do Rio Grande do Sul. Psicologia em pesquisa, Juiz de Fora, v. 7, n. 2, p. 117-125, 2011.
8. ANDRADE, T. B. et al. Prevalência de absenteísmo entre trabalhadores do serviço público. Scientia Medica, Porto Alegre, v. 18, n. 4, p. 166-171, 2008.
9. IBGE. Censo Demográfico – 2010. Disponível em: <http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/temas.php?lang=&codmun=270030&idtema=79&search=alagoas%7Carapiraca%7Ccenso-demografico-2010:-resultados-do-universo-indicadores-sociais-municipais–.> Acesso em: 20 jul. 2015.
10. SILVA, E. B. F. et al. Transtornos mentais e comportamentais: perfil dos afastamentos de servidores públicos estaduais em Alagoas, 2009. Epidemiologia Serv. Saúde, Brasília, v. 21, n. 3, p. 505-514, 2012.
11. SALA, A. et al. Licenças médicas entre trabalhadores da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo no ano de 2004. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n. 10, p. 2168-2178, 2009.
12. BARBOSA-BRANCO, A.; SOUZA, W. R.; STEENSTRA, I. A. Incidence of work and non-work related disability claims in Brazil. American Journal of Industrial Medicine, New York, v. 54, p. 858-871, 2011.
13. LEÃO, A. L. M. et al. Absenteísmo-doença no serviço público municipal de Goiânia. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 18, n. 1, p. 262-277, 2015.
14. FLACH, P. A. et al. Factors associated with first return to work and sick leave durations in workers with common mental disorders. European Journal of Public Health, Stockholm, v. 22, n. 3, p. 440-445, 2011.
15. BECKER, S. G.; OLIVEIRA, M. L. C. Estudo do absenteísmo dos profissionais de enfermagem de um centro psiquiátrico em Manaus, Brasil. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 16, n. 1, p. 1-7, 2008.
16. COSTA, F. M.; VIEIRA, M. A.; SENA, R. R. Absenteísmo relacionado a doenças entre membros da equipe de enfermagem de um hospital escola. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 62, n. 1, p. 38-44, 2009.
17. ALVES, M.; GODOY, S. C. B. Procura pelo serviço de atenção à saúde do trabalhador e absenteísmo doença em um hospital universitário. Revista Mineira de Enfermagem, Minas Gerais, v. 5, n. 1, p. 73-81, 2001.
18. SANTOS, J. P.; MATTOS, A. P. Absenteísmo-doença na prefeitura municipal de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 121, n. 35, p. 148-156, 2010.
19. SANTOS, M. N.; MARQUES, A. C. Condições de saúde, estilo de vida e características de trabalho de professores de uma cidade do sul do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, p. 837-846, 2013.
20. SILVA, L. S.; PINHEIRO, T. M. M.; SAKURAI, E. Perfil do absenteísmo em um banco estatal em Minas Gerais: análise do período de 1998 a 2003. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, n. 2, p. 2049-2058, 2008.
21. CUNHA, J.; BLANK, V. L.; BOING, A. F. Tendência temporal de afastamento do trabalho em servidores públicos (1995-2005). Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 12, n. 2, p. 226-236, 2009.